Porque o branding é essencial para a sua gestão de marca

Entenda de uma vez por todas o que é branding e qual a sua importância para a gestão da sua marca.

Luiza Telexa

em 30 de junho de 2022

Participe da newsletter para receber conteúdos exclusivos

    O branding é uma estratégia de gestão de marcas. Sua função é construir uma marca forte, que gere conexão com o público. Isso acontece por meio de uma série de elementos: o nome da marca, seu símbolo (normalmente representado pelo logotipo), personagem, slogan, jingle, embalagem e as cores. 

    Uma estratégia de branding bem estruturada é fundamental para a construção de uma marca a longo prazo. Importante lembrar que esses resultados não se transformam em faturamento ou aumento de vendas de uma hora para outra, esse é um processo que se estabelece de médio a longo prazo.

    Branding envolve marketing, mas não só ele. A principal função do marketing é atrair para vender, já o branding busca estar em todos os lugares, atraindo, não com o intuito final de vender, mas sim de mostrar personalidade e o lado humano da marca. Ou seja, ele é o responsável por construir e reproduzir a imagem que a sua empresa vai passar para o público.

    A evolução dos personagens do branding de uma marca, precisa acompanhar a evolução do propósito e do contexto dos tempos. O baianinho, das Casas Bahia, é um ótimo exemplo disso. Imagem: Reprodução/designe

    Qual a sua importância?

    O branding é essencial, pois ajuda a manter a sua marca na lembrança dos consumidores. E, isso, com certeza é um fator decisivo na hora da compra ou da escolha entre uma marca e outra. O futuro do consumo tem se reinventado todos os dias. Com novos mercados e novos produtos despontando, surge a necessidade de se adaptar.

    O que é uma marca?

    Antes de falarmos sobre como construir uma estratégia de branding de sucesso, é importante entender de uma vez por todas o que é uma marca. Parece uma missão simples, mas ao contrário do que muitos pensam, a marca não é a empresa. As empresas são conglomerados organizacionais, as marcas podem ou não representar uma empresa.

    Vamos a um exemplo: a Apple, a Big Tech mais valiosa atualmente, é detentora de marcas extremamente fortes, que desempenham um branding altamente eficaz. As pessoas fazem filas gigantes para comprar os lançamentos da empresa, e seus produtos acabam sendo vistos como marcas próprias.

    branding

    As pessoas não compram um tablet, mas sim um IPad, ou um celular, mas sim um IPhone, o consumo está ligado à sensação de status, este último que é consolidado por meio do branding. Imagem: Reprodução/ Istock

    O que faz parte de uma estratégia de branding?

    Identidade visual

    Elementos como o nome da marca, seu símbolo – normalmente representado na logo, e as cores são fundamentais para garantir a lembrança de marca. 

    Além disso, a Psicologia das Cores influencia diretamente na mensagem que a sua marca quer transmitir. O cérebro humano identifica as cores e automaticamente as transforma em sensações, trazendo percepções à tona. Por isso, na hora de construir sua estratégia de branding você deve levar em conta as cores que farão parte da sua marca. Para a tomada de decisão, pense em qual sensação você quer transmitir para o seu público.

    O logotipo também é uma ferramenta que merece toda atenção durante esse processo, afinal ele carrega o símbolo da sua marca e ele é responsável por fazer a sua marca ser reconhecida visualmente. Seu logotipo precisa ser marcante o suficiente para que mesmo que, de maneira inconsciente, sua audiência o reconheça. 

    Outro fator que merece destaque é a tipografia. Ao lado da sua paleta de cores e da sua logo, ela deve estar em harmonia com os outros elementos visuais.

    Personagem 

    O uso de personagens é especialmente útil para marcas que não tem muito apelo ao humano. Já que o personagem vai ter características humanas e vai gerar grande conexão com os indivíduos. Algumas marcas optam por criações em realidade virtual (como a Lu do Magalu, Koerich e Baianinho das Casas Bahia) outras utilizam uma pessoa de fato. Para gerar a conexão entre a marca e o produto é preciso que a personificação represente de alguma forma a marca ou o produto carro-chefe.

    Posicionamento

    Defina os valores da sua marca. Os valores, nada mais são do que o propósito da sua marca. Aquilo que move você e seus colaboradores e vai ser transmitido, em formato de sentimento para quem for impactado por seu produto ou serviço. Seja verdadeiro, afinal é por meio dos valores, que você vai gerar conexão com o seu prospect.

    Além do propósito, é importante definir o tom de voz da sua marca. Como você vai se comunicar com o seu público? De maneira formal ou leve? Ter um vocabulário próprio para a marca, vai torná-la muito mais autêntica e certamente vai fazer com que ela se destaque em meio a concorrência. Você pode começar de forma simples, crie ou faça uso de expressões que já existem e se encaixam nos valores da sua marca. 

    branding

    Um bom exempo de tom de voz muito bem estruturado é o do Enjoei. A marca aderiu a uma linguagem mais informal, divertida e cheia de neologismos, como o famoso “yeah yeah” para conversar com o seu público. Imagem/Reprodução: Blog Being

    Slogan

    Uma frase curta que transmite o propósito da marca, que pode mudar ao longo do tempo conforme o posicionamento da marca muda. A Skol, por exemplo, muda o slogan “A cerveja que desce redondo” com frequência. No dia primeiro de abril, por exemplo, a marca fez uma brincadeira com os terraplanistas.

    Jingle

    A música da marca, pode acompanhar uma campanha específica, como os pôneis malditos, ou marcar décadas, como o Guaraná Dolly.

    Embalagem

    Se você consegue identificar o produto só ao olhar para a embalagem, você vai entender esse conceito facilmente.

    Algumas marcas trabalham muito bem a embalagem, garantindo lembrança de marca até mesmo quando a logo está escondida: é o caso da Absolut, por exemplo, a vodca que tem uma garrafa tão marcante que esconde seu rótulo em embalagens comemorativas e não deixa de ser identificada.

    Redes Sociais

    95% da população mundial tem acesso a rede mundial de computadores e confirmar a presença da sua marca nesse meio é necessário.

    As redes sociais são um espaço para criar vínculos com seu público, e são nelas que os consumidores podem reagir positiva ou negativamente. É aqui que a produção de conteúdo de valor somado ao seu tom de voz + vocabulário, entra em cena.

    branding

    Interagir com a sua audiência, respondendo suas dúvidas e seus elogios é extremamente importante, afinal elas são uma vitrine da sua marca. Um exemplo de marca que faz um excelente trabalho nas redes sociais, é a Netflix, que sempre responde os comentários de seus seguidores de maneira bem humorada, sejam elogios, sugestões ou comentários grosseiros. Imagem: Reprodução/ Incrível.club

    Marketing promocional e Marketing de experiência

    Investir em ações de marketing é essencial para a estratégia de branding. Nesse caso, o céu é o limite: você pode apostar em realizar ações que permitam que o seu consumidor experimente uma parte do produto/serviço que você tem a oferecer. Podem ser brindes, mimos, amostras grátis ou até mesmo ações temáticas em espaços públicos.

    Como construir uma estratégia de branding?

    Inspirado no método da designer Ana Couto, uma das maiores referências em branding do país, o Mídia Market trouxe as quatro etapas defendidas por ela, para desenvolver uma estratégia de branding de sucesso. 

    Diferenciação

    A primeira etapa é a da diferenciação. O que faz a sua marca se destacar entre todas as outras? E como você vai representar a singularidade do seu produto ou serviço? As marcas são como pessoas, elas têm personalidades, valores, crenças e discursos próprios. E cada um desses fatores são transferidos para os fãs lovers dessas marcas.

    Relevância

    Tenha uma proposta de valor que gera identificação, que inspira e que atrai, afinal, ninguém mais compra e vende só por querer, os hábitos do consumo mudaram e hoje cada ação é tomada levando em conta uma série de fatores.

    Propriedade

    A terceira etapa envolve ser verdadeiro com o seu cliente. Construa um universo associativo e visual que faça a diferença. É aqui que entram as cores, a logo, a tipografia, as sensações, os cheiros, os sabores, a linguagem, tudo que se relacione a sua marca. Nessa fase um design estratégico entra em cena!

    Consistência

    Manter consistência não é o mesmo que ser repetitivo. Lembra que falamos que a estratégia de branding não é estática e é longeva? Então, é preciso se comunicar com seu público da mesma forma em todos os seus pontos de relacionamento, com foco e persistência, mas sem se tornar cansativo.

    Cases de sucesso

    Coca-Cola

    Talvez um dos exemplos mais famosos de branding de sucesso seja o da Coca-Cola. Afinal quem nunca viu um dos emocionantes comerciais de Natal da empresa, ou então aqueles em que a família está reunida à mesa no domingo se deliciando com aquele almoço de dar água na boca?

    Aposto que quando você vê aquele rótulo vermelho já consegue até sentir o cheiro da bebida e a sensação das bolhas estourando. Isso é branding! Isso é fazer a associação de todos os elementos visuais e perceptivos que compõem um produto. Isso é vender uma proposta de valor, nesse caso a de momentos de felicidade, diversão e leveza, com pessoas que amamos.

    As campanhas da Coca-Cola não mostram produtos com preços, mas sim, levam o consumidor a sentir sensações que o lembrem de maneira inconsciente o produto.

    Sem emitir uma palavra, o comercial termina com a frase “O Natal se torna mágico quando estamos juntos”, construindo em seu público a ideia de que tomar Coca-Cola já faz parte da rotina da ceia de Natal, aproxima as pessoas, ou que é sinônimo de felicidade.

    Havan

    Uma empresa que consegue desenvolver uma ótima estratégia de branding, em nosso estado, é a Havan. A rede de lojas de departamento por meio de objetivos bem definidos conseguiu levar sua proposta de valor para todo o Brasil, construindo uma reputação muito bem consolidada.

    Hoje é impossível não associar as típicas Estátuas da Liberdade espalhadas pelo país a varejista, por exemplo. Imagem: Reprodução/ Istock

    Av. do Antão, 1762 - Morro da Cruz | Florianópolis
    (ver endereço)